Candomblé: Estigmas de uma religião.

Artigos

Conceitos e Pré-conceitos de uma sociedade desinformada

Por Françoise Batista

Tratados por muitos com indiferença e discriminação, os praticantes do candomblé vivem a chamada era da Intolerância religiosa. Suprimidos e julgados por uma sociedade formada por 73,89% de pessoas católicas e 16,19% de evangélicos, o Candomblé com 0,07% de adeptos conforme mostram os dados da pesquisa realizada pelo IBGE no último Censo no ano de 2000, vem transpondo décadas de muitos preconceitos e desigualdades. Este por sua vez, só tem conseguido sobreviver até os dias de hoje, por conseguir manter firme suas origens, cultura e tradições. Pois existe uma soberania de 90,8% de religiosos, que não definem o Candomblé como uma religião e sim como uma seita, um ritual de macumbaria. Estes líderes religiosos conceituam o Candomblé de forma incorreta e isso influencia diretamente as pessoas que convivem em seu meio, o que acaba tornando um ciclo no qual, cada vez mais pessoas desinformadas vão continuar a definir o Candomblé de maneira errada e preconceituosa.

Esta é chamada “Lavagem cerebral” que muitos religiosos fazem com seus fiéis afim de não perdê-los. Tomam uma postura totalmente etnocêntrica para julgar algo que desconhecem e o mais grave de tudo, tomam sua religião como referência para condenar ou absolver as demais. Com isso, gera-se um círculo vicioso, onde todos envolvidos naquele meio serão automaticamente influenciados por uma pessoa que para eles é referência em comportamento e que condena determinada coisa, no caso “O Candomblé”.

Seita, Ritual ou Religião, o Candomblé foi originado em 1830 na cidade de Salvador na Bahia, foi fundado por mulheres africanas originárias de Ketu na Nigéria que queria muito preservar aqui no Brasil as tradições africanas e por isso criaram O Culto do Orixá, denominado hoje de “Candomblé”. O que realmente motivou essas mulheres a criarem este culto, foi o fato de que se não o fizessem, elas e seus irmãos negros descendentes, teria, que ser batizados e seguir o catolicismo. O que fugia totalmente a sua cultura e tradição.

Discriminados pela cor, pela classe social e até mesmo pela religião, os negros ou afro-descendentes, sofrem até hoje em pleno século XXI com situações de constrangimentos. O Candomblé taxado por muitos por ser seita, ritual de macumbaria e feitiçaria, nada mais é do que uma das religiões afro-brasileiras que mais se desenvolvem no Brasil. Sua ascensão no país se deu consideravelmente em 1988 após a abolição da escravatura e atualmente no Brasil pelo menos 03 milhões de pessoas revelaram ser praticantes desta religião.

 

São inúmeros os preconceitos sofridos pelas pessoas adeptas ao Candomblé ou as religiões afro-brasileiras em geral, muitas delas precisam omitir sua identidade religiosa até mesmo na hora de ir em busca de uma oportunidade de trabalho e emprego. Oprimidas e com medo da discriminação e do preconceito, mentem sobre suas religiões para não serem constrangidas, humilhadas ou desprezadas. Vivem uma vida obscura, cheia de medo e infelicidade. Não podem assumir sua própria identidade e por serem o tempo todo julgados por pessoas preconceituosas e intolerantes que desconhecem a verdadeira filosofia do Candomblé e condenam por conta própria a quem ele segue. Uma verdadeira falha do sistema social que não dá ao cidadão a proteção devida e o direito de escolher sua própria religião e ainda ousam fallar em Direitos Humanos.

Referencial Teórico:

ALVES, José Eustáquio Diniz. Democratização Religiosa no Brasil.

http://www.ecodebate.com.br/2010/07/08/a-democratizacao-religiosa-no-brasil-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/ .Brasil, 08/07/2010.

JORNAL EXTRA. Com medo de sofrer preconceito praticantes do Candomblé não revelam sua crença no emprego.

http://extra.globo.com/rio/materias/2009/01/27/com-medo-de-sofrer-preconceito-praticantes-do-candomble-nao-revelam-crenca-no-emprego-754176241.asp . Brasil, 27/01/2009.

http://ceticismo.net/2009/02/04/a-intolerancia-contra-o-candomble-a-raiz-do-racismo-no-brasil/. Brasil, 04/02/2009.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) – Dados do Censo do ano de 2000.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: